O outro lado da crise: venda de carros usados aumenta

Apenas para complementar, o texto não menciona o seguinte: muita gente também opta por “descer de categoria” e adquirir um veículo mais em conta, mas sem abrir de um veículo novo (0 km) — exemplo: trocar um sedã médio por um hatch compacto. É que muitas vezes o valor do seminovo que o consumidor possui, de categoria acima, não vale o suficiente para se manter nela no caso de revenda — às vezes não consegue sequer atingir o valor de uma boa “entrada” para financiamento em condições mais vantajosas, somado ao comprometimento do orçamento com outras coisas (reforma no imóvel, por exemplo). Mas o texto é bem interessante e vale a leitura:

O atual cenário econômico brasileiro está desfavorecendo diversos segmentos da indústria e do varejo, que estão sentindo os reflexos da cautela do consumidor. Diante da inflação e dos juros em alta, alguns planos de consumo estão sendo adiados pela população, mas esse pode ser exatamente o motivo para que alguns mercados se destaquem em meio à crise.

De acordo com a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas de veículos usados tiveram um aumento de 2,27% no primeiro trimestre de 2015.

Os números podem não soar expressivos, mas vale a pena ressaltar que, no mesmo período, as vendas de carros zero quilômetro tiveram uma queda de 17%, trazendo preocupações à indústria automotiva.

Boa compra de usado

O mercado de carros usados está atraindo interessados pelos seminovos mais completos e mais em conta do que os saídos de fábrica. No entanto, quem vai comprar seu primeiro veículo de segunda mão, deve pesquisar bem e levar alguns fatores em consideração. Confira:

– Quando encontrar um modelo que lhe agrade, peça a opinião de um mecânico de confiança sobre o estado do veículo. Mesmo estando muito conservados e esteticamente impecáveis, eles podem esconder defeitos estruturais, em componentes do motor, suspensão e parte elétrica.

– Ao contrário do que se imagina, os leilões oferecem muitos seminovos em excelente estado e até veículos de luxo. Muitos deles tiveram de ser confiscados para revenda por falta de pagamento do financiamento do antigo proprietário ou por complicações com a documentação. É possível encontrar alguns bons candidatos à compra mesmo em leilões online como este.

– Fique atento à cor do veículo que pretende comprar, já que esse pode ser um fator de desvalorização para uma futura revenda.

– Não passe mais de dois anos com um veículo usado. Caso contrário, haverá perda de dinheiro em sua revenda.

– Verifique a documentação do veículo com muita atenção. Se necessário, consulte um despachante ou um advogado.

Fonte: Jornal de Beltrão

Observação: foi removida a referência a veículos específicos, de categorias distintas, pois aquela informação poderia sugestionar o leitor que não conhece o assunto carros a considerar que se tratava de uma ofensa quando se mencionou descer de categoria. Então, se você leu a versão anterior do texto, considere-se avisado.

Anúncios