Governadores da oposição querem garantia para apoiar reforma do ICMS

Reunidos nesta quinta-feria (30) na sede da representação do Paraná em Brasília, os governadores de oposição que viajaram à capital federal para encontro com a presidente Dilma Rousseff decidiram apresentar exigências ao governo federal para a apoiar a reforma do ICMS. Os oposicionistas se recusam a aceitar, como garantia às eventuais perdas de arrecadação dos estados, o projeto de lei que prevê o repatriamento de dinheiro depositado por brasileiros no exterior que não foram declarados à Receita Federal.

Para os governadores oposicionistas, a proposta do Senado apoiada pelo Palácio do Planalto não dá garantia para compensar as prováveis perdas dos estados com a arrecadação do ICMS.

“Qual é a segurança da compensação desses fundos? Esse é o nó. Ele tem de ser constitucional. Esse negócio de repatriação pode ser uma ótima intenção, mas não dá segurança, disse o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

Ao Blog, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que o foco da reunião não pode ser a “foto”, e sim a “responsabilidade fiscal”.

Em relação ao pedido de apoio da presidnte da República para garantir a governabilidade no Congresso Nacional, Alckmin foi cuidadoso.

“Nós não substituímos o Congresso Nacional. O Congresso é um outro poder. Agora, aquilo que for de interesse público, nós vamos ajudar”, enfatizou.

“Essa taxa de juros absurda é um tiro no pé. Isso não vai levar absolutamente a nada. Grande parte do ajuste fiscal se perde com o aumento da taxa de juros”, disse Alckmin ao Blog.

Fonte: Blog do Camarotti (G1)

Anúncios